Não fales comigo

 

Foram vários os alunos, do 12º AVA, que aceitaram o desafio de ilustrar os poemas que o antigo Presidente da Direção da Escola Maria Lamas, António Mário dos Santos, nos cedeu para publicação na Revista Literária. Juntamos, assim, ao poema, as suas perspetivas sobre o seu conteúdo deste texto poético. 

 

Para veres a galeria de imagens, segue o link:

https://www.tes.com/lessons/AQaFGWr2Az9ojg/nao-fales-antonio-mario-dos-santos

 

Os poemas, escolhidos ao acaso dentro dos que fui escrevendo em 2019, procuram ser o meu olhar sobre as coisas, o mundo, a vida.

Toda a poesia é autobiográfica, mas a autobiografia contém em si a voz do outro, do outro, que nos conforta e assume o desejo comum da partilha.

 

 

Não fales comigo

Mas com as palavras

Com que me escreves.

Sabes como os dias

Se transformam

Em coisa nenhuma

Um tábua de vento

Despenteado nas noites

Onde o sopro dos anjos

A faz levitar.

Árvores despidas

Pelas mãos dos faunos

Escondidos

Nas raízes subterrâneas

 

Não lhes chames

O que não são

Rituais de amor

No segredo das vozes

Que se erguem do chão

Em busca das luas

No ventre da terra

 

Sons dum violino

Tão familiar 

Como o grito da infância

No susto materno

 

Lascas de móveis

Onde as mãos guardam

As cascas das silabas

Dos mistérios perdidos

No crescer da dúvida.

 

Desenhas-me no papel

Mas fácil me desprendo

Transformo-me na sombra

Duma ansiedade , um

Fio de de luz tecido

No pano do espanto

 

O olhar desnuda-se

É um leito de amor

A insónia em que

Me transformas.

 

 

António Mário de Carvalho Lopes dos Santos.

Fevereiro/26/2018

2ª versão -2019/1/7.