1. CARDÍLIO E AVITA

 

Poeiras passos pedras

ervas exaustas do passado

ervas de âmbar e ardor

deuses no desvão do destino.

 

Do Lácio vinha a cintilação

e das mãos o rumor e a ruína

a dádiva do desejo

a língua no livor da memória.

 

Se a sua luz declina entre tílias

a noite desce no coração.

Sombra de sangue

ao passar tudo incendeia.

 

 

Jorge Carreira Maia, 1979